A taxa condominial, paga em conjunto pelos moradores de um prédio, é utilizada para o bom funcionamento do condomínio, cobrindo despesas como contratação de mão de obra, limpeza, segurança, dentre outras. Você já leu aqui no blog sobre taxas extras condominiais, mas hoje vamos ver como é feito o cálculo do condomínio.

como-e-calculado-valor-condominio-sj-aluguel-imoveis-03

Para definir o valor dessa taxa, o síndico deve fazer a soma de todos os gastos rotineiros do condomínio e dividí-los igualmente entre todos os condôminos. As despesas incluem o pagamento dos funcionários, água, luz e gás, compra de material de limpeza e outros gastos.

como-e-calculado-valor-condominio-sj-aluguel-imoveis-02Existem duas formas de cobrança do condomínio: o rateio mensal das despesas do mês e a taxa fixa. É possível que os moradores optem por fazer um fundo de reservas para casos emergenciais ou benfeitorias, taxa que é acrescentada na conta mensal de cada apartamento. O valor poupado só poderá ser aplicado após uma assembleia onde o síndico irá expor os motivos para a utilização do dinheiro. É importante lembrar que os inquilinos não são obrigados a contribuir com o fundo de reserva, uma vez que sua função é de melhorar o patrimônio. Neste caso, o valor deverá ser pago pelo proprietário do imóvel.

A divisão das taxas em frações iguais, porém, pode não agradar a todos os condôminos, que podem contestar que alguns apartamentos são maiores que outros e, por isso, consomem mais serviços e despesas do prédio. A divisão por frações ideais veio como imposição do Novo Código Civil em 2003, mas um inciso foi acrescentado, garantindo o poder de escolha dos condôminos, que têm autonomia para escolher o critério de divisão das taxas ordinárias e extraordinárias.

como-e-calculado-valor-condominio-sj-aluguel-imoveis-04

Acompanhe nossas redes para saber de mais notícias e informações sobre as leis de condomínio: @sj_digital e SJAdmdeImoveis.

Fonte: Jornal do Síndico